domingo, 20 de novembro de 2011

Poesia de Alfredo Gabriel – Foto de Loyde Machado – Edição gráfica Matheus Stutzel

Antonio Machado – Foto de Loyde Machado




ANTONIO – 16/11/2011

 Sem travor, sublimante o contraste da cor
Produzido em teu traço, faz a tela, em espaço,
A morada do amor.

Estimar teu valor (sem nenhum corujismo)
Não me cismo confuso: muito pelo contrario,

O teu itinerário desde o passo primeiro
Torna-me prazenteiro sabê-lo de cor.
Teu valor estimado: o melhor do melhor!

domingo, 6 de novembro de 2011

Desenho e poesia de Alfredo Gabriel. Edição gráfica Matheus Stutzel


 Caras e bocas - Técnica mista - ano de 2011

Seguiremos assim: como se levitados
Unificados pelo espaço, afora
Só do outrora levando a infância
De ressonância inocente, bela
Nossa janela vive escancarada!
Pois nos expomos sem medo a cobranças.
Crianças sim, nosso pensar é esse
Alheios a criticas... intimoratos.

Tratos, apenas daremos com brilho,
Ao nosso bem querer explicitado
Não descuidado nunca de mudarmos
Por isso o que sonharmos, pra valer
Indubitavelmente irá acontecer.