domingo, 1 de abril de 2012

Sou de Sol! - Poesia de Alfredo Gabriel - Ano de 2012

Sou de Sol! - 21/03/12

Dar a volta dei, porque sou de sol!
Claro por demais sem o passo atrás
Dos iguais a fim da não reação.
Dar a volta em vão é pisar sem chão
Desiquilibrar, é ficar no vão
Sem se decidir, é dissimular...
Não fazer valer.
Roer pra ruir o que mal sonhado
Faz-se demorado pra desmoronar
Dar a volta sim, sempre sou capaz
Porque sou de sol,
Claro por demais.

Um comentário:

  1. Gaudencio Guimarães13 de abril de 2012 10:04

    A poesia "Sou de sol" de Alfredo Gabriel o retrata na íntegra. Conheço-o o suficiente para afirmar. Destemido, verdadeiro. Não tem medo de se mostrar. Uma de suas grandes qualiades.

    ResponderExcluir